We use cookies to personalise content and ads, to provide social media features and to analyse our traffic. Read more…
Friday
13
APR

Apresentação do livro "A minha filha inês" de Jaime Ferreri

21:30
23:00

Get Directions

Category
#var:page_name# cover

Terá lugar no próximo dia 13 de abril, sexta-feira, pelas 21h30, na Sala da Varanda da Casa das Artes / Biblioteca Municipal Tomaz de Figueiredo em Arcos de Valdevez .a apresentação do livro "A minha filha inês" do reconhecido romancista, contista, cronista e poeta Jaime Ferreri.

"A minha filha Inês" é ultimo romance deste escritor, nascido em Bravães, Ponte da Barca, que se inicou nas lides literárias em 1986, com a publicação da novela intitulada "Cabrito Montês", muito bem recebida pela critica e pelo público.
Seguiram-se depois os romances "Fizeram de mim soldado", publicado em 1992 e "Os homens também hibernam" em 1995.
Em 2005 publicou um livro de crónicas "Crónicas (des)alinhadas e um livro de poesia "Pecúlio".


Jaime Ferreri vive em Ponte da Barca e a par de uma dedicada carreira docente na área da informática e matemática, desenvolveu o gosto pela criação literária e pela dramaturgia, tendo ao longo dos anos encenado inúmeras peças de teatro, com particular destaque para as encenações anuais, por altura da Semana Santa, de “A Mui Dolorosa Paixão de Nosso Senhor Jesus Cristo” no mosteiro de Bravães, Ponte da Barca


Sinopse por Fátima Lobo

"A MINHA FILHA INÊS”, romance de JAIME FERRERI, 1ª edição de 2017, transporta-nos à segunda metade do século passado, ousando pisar, já resolvidos os encontros e desencontros que marcaram as diversas personagens, a primeira década deste século.
Dedicado à MULHER (como definição do coletivo feminino que o autor gera), aborda o passado recente em ditadura, a guerra colonial, a liberdade que chegava a galopes de loucura por tantos freios sonegada. Por ele perpassa a ternura e o amor que deve adoçar o poder do paternalismo que destronou a Deusa-Mãe mas que vive nesta Mátria nas formas da Mãe-Natureza e no coração de matriz céltica que muitos homens receberam por educogenia.”