We use cookies to personalise content and ads, to provide social media features and to analyse our traffic. Read more…
Monday
16
APR

3ª Edição do Escritor do Mês na Biblioteca Camões

10:00
13:00

Get Directions

Category
#var:page_name# cover

CAMÕES/CENTRO CULTURAL PORTUGUÊS

“ESCRITOR DO MÊS NA BIBLIOTECA CAMÕES”

MANUEL RUI

3ª Edição – Abril de 2018
Evocação dos valores da Liberdade e da Paz

Dias 16 e 26 de Abril, a partir das 10H00

O CAMÕES - CENTRO CULTURAL PORTUGUÊS (Av. de Portugal nº 50), no quadro da promoção das letras e da língua portuguesa, lançou a iniciativa “Escritor do Mês na Biblioteca Camões” com o objectivo de divulgar autores de língua portuguesa, através da leitura colectiva de extractos das respectivas obras e biografias. Este Núcleo de Leitura tem momentos interactivos com participação dos utentes da Biblioteca, na sua maioria, jovens estudantes universitários e pré-universitários.

Em dois dias de cada mês, é identificado um escritor, cuja obra é revisitada, no formato referido.

Na 3ª Edição – Abril de 2018, Mês da Liberdade e da conquista da Paz, o “Escritor do Mês na Biblioteca Camões” será MANUEL RUI. Nos dias 16 (2ª feira) e 26 de Abril (5ª feira), entre as 10H00 e as 11H30, será revisitada a obra deste consagrado escritor, ensaísta, contista, crítico literário e poeta. Com uma vasta obra publicada, a sua prosa, quase sempre poética, está profundamente marcada por preocupações estéticas de um realismo social, que celebra o homem comum, quase sempre de Angola. Muitas das suas personagens revelam-se em caricaturas de comportamentos perversos. A sátira e a ironia são os recursos estilísticos dominantes na sua obra.

POESIA NECESSÁRIA

Produzir na palavra
É semear e colher
É cumprir na escrita
A produção.
(Manuel Rui)

SOBRE O AUTOR

Licenciado em Direito pela Universidade de Coimbra. Exerceu advocacia em Coimbra e Viseu durante a guerra pela independência em Angola.

Colaborou com a revista “Vértice”, com a Centelha Editora e com o Centro de Estudos Literários da Associação Académica de Coimbra.

Após o 25 de Abril, regressou a Angola, tornando-se Ministro da Informação do MPLA no governo de transição. Foi também o primeiro representante de Angola na Organização de Unidade Africana e nas Nações Unidas. Foi ainda Director do Departamento de Orientação Revolucionária e do Departamento dos Assuntos Estrangeiros do MPLA.

Foi membro fundador da União dos Artistas e Compositores Angolanos, da União dos Escritores Angolanos e da Sociedade de Autores Angolanos. É autor da letra do Hino Nacional de Angola, de outros hinos como o “Hino da Alfabetização”, e o “Hino da Agricultura”, e da versão angolana da Internacional.

Foi Director da Faculdade de Letras do Lubango e do Instituto Superior de Ciências da Educação.

Poeta, contista, ensaísta, crítico literário, Manuel Rui nasceu no Huambo, a 4 de Novembro de 1941.

Foi galardoado com o Prémio Nacional Agostinho Neto, atribuído à obra “Quem me dera ser Onda” (1982).

Obras Publicadas

Poesia

1967 – Poesia Sem Notícias. Porto
1973 – A Onda. Coimbra: Centelha Editora
1976 – 11 Poemas em Novembro, Ano Um (foram publicados oito volumes de ’11 Poemas em Novembro’ de 1976 a 1984 com interregno em 1982 e 1983 e outro em 1988)
1978 – Agricultura. Luanda: Instituto Angolano do Livro
1981 – Assalto. Literatura infantil – Desenhos de Henrique Arede. Luanda: Instituto Nacional do Livro e do Disco
1985 – Cinco vezes Onze Poemas em Novembro
2006 – Ombela. Edição bilingue português-umbundu
2009 – O Semba da Nova Ortografia

Prosa

1973 – Regresso Adiado, Lisboa
1977 – Sim Camarada!
– A Caixa, 1977
1979 – Cinco Dias depois da Independência, 1979
1980 – Memória de Mar
1982 – Quem me dera ser Onda. Edições Cotovia, Lisboa
1989 – Crónica de um Mujimbo, 1989
1993 – Um Morto & Os Vivos, Edições Cotovia, Lisboa
1997 – Rio Seco. Edições Cotovia, Lisboa
1998 – Da Palma da Mão. Edições Cotovia, Lisboa
2001 – Saxofone e Metáfora: Estórias. Lisboa
2002 – Um Anel na Areia. Luanda
– Nos Brilhos. Luanda: Instituto Nacional das Indústrias Culturais, Luanda
– Maninha: Crónicas (Cartas Optimistas e Sentimentais)
2003 – Conchas e Búzios. Literatura infantil
2005 – O Manequim e o Piano. Edições Cotovia, Lisboa
2006 – Estórias de Conversa. Caminho, Lisboa
2007 – A Casa do Rio. Caminho, Lisboa
2009 – Janela de Sónia. Caminho, Lisboa
2013 – Travessia Por Imagem. Teodolito
– A Trança. Mayamba Editora, Luanda
2016 – A Acácia e os Pássaros. Mayamba Editora, Luanda
2017 – O Kaputo Camionista e Eusébio. Guerra e Paz Editores, Lisboa

Teatro

1973 – O Espantalho
1985 – Meninos de Huambo