We use cookies to personalise content and ads, to provide social media features and to analyse our traffic. Read more…
Sunday
22
APR

Constelação Familiar

09:00
13:00
Espaço Kirom
Event organized by Espaço Kirom

Get Directions

Category
#var:page_name# cover

Dia 22 de Abril aqui no Espaço Kirom - Ines Fernandes, psicóloga e grande estudiosa de Bert Hellinger conduzirá uma manhã de Constelações Familiares! Vale a pena participar ;)

QUANDO? 22/04 - Domingo
ONDE? Espaço Kirom - Rua dos Alcatrazes, 81 (próximo ao metrô Saúde)
HORARIO? A partir das 09h
CONTRIBUIÇÃO? R$30

Caso tenha interesse em constelar, favor entrar em contato pelo whats (11) 99953-5454 ou por e-mail: ligia@espacokirom.com.br

Abaixo um pouquinho mais sobre constelação:

O que é?

Para BERT HELLINGER, alguns dos nossos obstáculos atuais na vida dizem respeito às heranças de nossos antepassados, que membros das gerações seguintes assumem inconscientemente. Problemas e conflitos atuais podem ter origem no histórico familiar, uma vez que se manifestam sem que seja possível decifrar a sua origem. Se algo ficou mal resolvido ou sem solução na vida de algum dos nossos ancestrais, ou algo não foi passível de superação por algum membro do nosso sistema familiar, alguém pode estar “condenado” (será “escolhido” ou até “se candidatou”) para carregar o mesmo fardo. Tudo isto por Amor, para que as Leis Naturais possam ser respeitadas e aquele sistema familiar possa reencontrar sua Ordem.
Batizado de Constelações Familiares, o método psicoterapêutico criado por Bert Hellinger tem uma abordagem sistêmica fenomenológica, com base filosófica. Como um retrato vivo, a constelação revela bloqueios e vínculos secretos, a fim de encontrar uma solução nova e libertadora. Após anos de estudos e observações, Bert percebeu o que em psicoterapia chamamos de “padrões repetitivos”, ou seja, que existiam padrões de comportamentos que se repetem ao longo das gerações. Segundo ele, a consciência nos vincula à nossa família e também a outros grupos. Inconscientemente, muitos membros de um mesmo sistema familiar sentem como “exigência” e/ou “obrigação” reproduzir o que outros membros do grupo sofreram em relação a situações que ficaram sem uma resolução.

Como funciona?

Cada constelação traz à luz da consciência algo de um espaço desconhecido onde estão ocultos fatos e sentimentos “adotados” de outros membros de uma mesma família, cuja herança comportamental traz reflexos negativos sobre as relações afetivas e muitas vezes até sobre a saúde.
Em geral, o trabalho é realizado em grupo. Nos grupos, os participantes são convidados a “assumirem os papéis dos membros da família” (eles são chamados a representar alguém ou algo do sistema) de um determinado paciente que está solicitando a Constelação Familiar. Segundo é possível comprovar, no decurso de uma Constelação Familiar os membros que representam o papel dos diferentes integrantes da família de quem solicitou a Constelação expressam com autenticidade os sentimentos e sensações de seus componentes e até de seus antepassados, que são do seu conhecimento. E, na grande maioria dos casos, estes representantes culminam por resolver muitas de suas próprias questões, ou pelo menos conseguem trazer à consciência algo que ajuda sua percepção em relação ao seu próprio sistema familiar, enquanto representam alguém de um outro sistema.
Para o biólogo inglês Rupert Sheldrake, isso é possível porque a transmissão hereditária não se propaga só através dos genes, mas também através de campos morfogenéticos que encerram uma espécie de memória coletiva da espécie. Cada indivíduo da mesma espécie enriquece o seu campo e conecta-se com essa memória. De acordo com o cientista, os campos mórficos são estruturas que se estendem no espaço-tempo e moldam a forma e o comportamento de todos os sistemas do mundo. Já o Dr. Içami Tiba, médico psiquiatra e psicodramatista, usava a seguinte expressão: “Tem os cromossomos e tem os como somos”.