We use cookies to personalise content and ads, to provide social media features and to analyse our traffic. Read more…
Friday
06
APR

Palestra Gratuita - Morrer é Mudar de Dimensão

19:00
21:00
IIPC | Porto Alegre
Event organized by IIPC | Porto Alegre

Get Directions

Category
#var:page_name# cover

Principais tópicos abordados na palestra:


- A eliminação do medo da morte a partir do paradigma consciencial;
- A consciência não deixa de existir com a desativação do corpo biológico;
- A consciência não amadurece instantaneamente só porque perdeu o corpo físico;
- A projeção consciente e o contato com pessoas que já morreram;
- O projetor consciente e a assistência aos recém-falecidos

A palestra abordará o tema morte sob o enfoque do paradigma consciencial, que estuda a evolução da consciência, ser, ego ou personalidade, considerando 4 premissas:
1. além do corpo físico, a consciência também se manifesta por outros corpos mais sutis;
2. atua nesta e em outras dimensões;
3. possui um histórico de vidas e
4. interage bioenergeticamente através de seus pensamentos e sentimentos, em todos os ambientes onde convive.

A partir desse entendimento e do abertismo pessoal para perceber as vivências dos fenômenos parapsíquicos que ocorrem a todo instante, como intuição, telepatia, precognição entre outros, a pessoa amplia seu conhecimento sobre os atributos inerentes a ela mesma. Ao se ver fora do corpo físico, por exemplo, ela percebe que continua existindo e se manifestando em outros locais ou dimensões. Pode, inclusive, reencontrar amigos que já passaram pela morte biológica.

Outro ponto importante é reconhecer que fora do corpo físico, o indivíduo continua sendo ele mesmo, com suas qualidades e seus defeitos. Portanto, quando desativarmos o corpo biológico, não passaremos a ser melhores do que somos hoje. O processo evolutivo continua ininterruptamente. E não ter medo de saber mais sobre nossa evolução natural e parapsíquica favorece a lucidez para atuarmos de modo mais realista e com menos imaturidades. Uma forma de assistência muito comum nas saídas fora do corpo é auxiliar os recém-falecidos a entenderem que não vivem mais fisicamente e que precisam seguir em frente, fazerem um balanço de suas ações, do que deixaram de realizar, e planejar a próxima vida física.