We use cookies to personalise content and ads, to provide social media features and to analyse our traffic. Read more…
Thursday
19
APR

Birds Are Indie /\ SHE

23:00
02:00
Sociedade Harmonia Eborense
Event organized by Sociedade Harmonia Eborense

Get Directions

Category
#var:page_name# cover

Birds Are Indie nasceram entre um rapaz e uma rapariga, de Coimbra, que se apaixonaram há 20 anos e aos quais se juntou depois um amigo de longa data. Começaram a fazer músicas no início de 2010 e editaram dois EPs pela netlabel Mimi Records e outros dois em nome próprio. Finalmente, em 2012, é lançado o LP ‘How Music Fits Our Silence’, em 2014, "Love Is Not Enough" e, finalmentem em 2016, "Let's pretend the world has stopped" pela Murmürio Records. Já tocaram por todo o país e um pouco por Espanha, mas continuam a ser um projecto absolutamente descomprometido e nada virtuoso, onde o mais importante persiste, ainda: o amor e uma pop íntima e sincera, baseada
em canções que umas vezes nascem alegres e outras vezes tristes,
consoante ditam os dias... - MURMÜRIO

"O encanto de Birds are Indie é precisamente a simplicidade de quem porventura não nasceu para a música, mas a música, ainda assim, nasceu-lhes. É quase um manifesto antivirtuoso, minimalista, mas encantador." - JORNAL DE LETRAS
"Joana Corker, Ricardo Jerónimo e Henrique Toscano sabem bem o que querem de cada instrumento, de cada corda de piano e de cada nota melancólica arrancada à guitarra ou ao trompete. São melómanos convictos. Gostam da música dos outros e de fazer a deles e isso não passa despercebido. Se Stuart Murdoch cantava em 2010 "Want The World To Stop", os Birds are Indie decidiram imaginar que sim, que o Mundo tinha parado e finalmente tínhamos tempo para ouvir canções, dançar com elas e, pelo caminho, antes de tudo voltar ao normal, salvar as nossas próprias vidas"; - VICE Portugal
"A grande força deste pequeno grupo é a harmonia entre as vozes de Ricardo Jerónimo e Joana Corker e o modo como as canções parecem surgir do nada, fáceis, delicadas. Simples. Este duo que agora se assume como trio (com Henrique Toscano na bateria, além de outros instrumentos) convida a entrar no disco com a promessa de nos fazer
sorrir e de nos roubar o coração (com um humor subtil que faz lembrar a música dos They Might Be Giants." - REVISTA VISÃO
"Let's pretend the world has stopped é uma envolvente viagem sonora, com uma pop inteligente, pontuada por excelentes vozes e uma ideia que dá para infinitas horas de reflexão: e se o mundo parasse um pouco para pensar?" - EXPRESSO
"Em apenas três anos, o trio de Coimbra tem feito da pop um lugar mais bonito para se viver, um local bucólico onde se ouve o vento e se sente o pulsar dos dias. A pop merece voar livremente" - REVISTA VIDAS