We use cookies to personalise content and ads, to provide social media features and to analyse our traffic. Read more…
Friday
06
APR

El Merekumbé & Trio Quintina

22:30
03:30

Get Directions

Category
#var:page_name# cover

O “El Merekumbé” surgiu por iniciativa do maestro cubano Jorge Mujica, realizando os primeiros ensaios ainda no ano de 1999. É um trabalho que visa a pesquisa, o intercâmbio e a divulgação da música latina bailável, principalmente a música caribenha conhecida por salsa, em seus mais variados ritmos como mambo, rumba, bolero, cha-cha-cha, son-montuno, danzón, cumbia, merengue, etc.
Sua formação conta com músicos de variadas orquestras e big bands da capital paranaense, em número de nove integrantes, sendo 3 deles cubanos. A instrumentação conta com voz, coro, piano, baixo, tres, guitarra elétrica, bateria, trompete, trombone, conga, bongo e percussão menor (clave, guiro, campana e maracas).
O grupo possuí 2 CDs lançados. O primeiro, “Pa' que lo baile usted”, de 2004, conta com 10 músicas, 4 autorais e 6 releituras de grandes sucessos como “Quizás, quizás, quizás (Osvaldo Farrés)”, “Lágrimas Negras (Miguel Matamoros)” e “Maria en la playa (Francisco Repilado)”. No ano de 2013, o grupo finalizou seu 2º CD, intitulado “Son de mi Cuba”. Neste último, eles desenvolvem um panorama eclético de composições autorais nos ritmos de son, pilón, cha-cha-chá, plena, bomba, mozambique, timba e guaguancó. O álbum contou com arranjos de Jorge Mujica, Flávio Lira, Rodrigo Simões e Marco Aurélio. Além disso, André Abujamra assina um remix para a faixa “Negra Bailando” de J. Mujica, F. Lira e Rafael Gomez. Son de Mi Cuba foi realizado através da Lei Municipal de Incentivo à Cultura de Curitiba, com patrocínio da Volvo e Escola Atuação. Teve produção da Gramofone +Musical e Juliana Cortes.
Nesses mais de 14 anos, “El Merekumbé” vem obtendo grande receptividade do público por onde passa. Já se apresentou em festas, bailes, viradas culturais e festivais de música em várias cidades da região sul e sudeste do país, como: Curitiba, Londrina, Florianópolis, Chapecó, Bal. Camboriú, Antonina, Toledo, Guarapuava e São Paulo.
A banda possuí 2 shows montados: um show autoral e um show-baile. O primeiro show é voltado para teatros onde o grupo apresenta e divulga músicas de seus 2 álbuns. O segundo, seu show padrão, é bailável e o grupo toca, além das composições autorais, arranjos e releituras para grandes sucessos de artistas como Benny Moré, Tito Puente, Perez Prado, Célia Cruz, Miguel Matamoros, Orquesta Aragon, Compay Segundo, Elíades Ochoa, Oscar de Leon, Los Van Van, Ruben Blades, Cubanismo, Jimmi Bosch, Habana D´ Primera, Orishas, Santana, Buena Vista Social Club, Fania All Stars

Trio Quintina
designar a divisão ímpar e incomum de cinco notas em um tempo e uma quiáltera de cinco notas, diferente das divisões pares que, em geral, tomam conta da música. Essencialmente o nome “Trio Quintina” quer transmitir a ideia da multiplicidade de 5 em 3. Cinco elementos musicais (violão, guitarra, flauta, percussão e voz) executados por apenas três músicos. Assim surgiu o Trio Quintina em meados de 1997, com estreia em fevereiro de 1998. Hoje o trio acrescentou vários outros instrumentos como o cavaquinho, o violão de 7 cordas, o sax tenor, o sax alto, o clarinete, o flautim, a bateria, além de uma gama de instrumentos de percussão. Somados a todos esses elementos, vêm as composições, os arranjos e, finalmente, chegaram a uma orquestra de três músicos.

Membros da banda:

Gabriel Schwartz: Flauta, Sax, percussão e voz
Gustavo Schwartz: Cavaquinho, guitarra, percussão e voz
Fabiano Silveira: Violão de 7 cordas e voz
Técnico de som: Chico Santarosa

SERVIÇO:

“El Merekumbé”+ "Trio Quintina"
Onde: Sociedade Operária Beneficente 13 de Maio
Quando: 06/04
Horário: 22:30hs
Valor: $ 15 com nome na lista (até ás 18h de sexta feira dia 06/04 no mural do evento) e $ 20 sem nome na lista