We use cookies to personalise content and ads, to provide social media features and to analyse our traffic. Read more…
Thursday
29
MAR

Show "Amadora" com Mariene de Castro

21:00
23:30
Rinoceronte
Event organized by Rinoceronte

Get Directions

Category
#var:page_name# cover

No ano em que completa duas décadas de carreira, Mariene de Castro lança seu novo projeto: Um show que foi carinhosamente batizado de “Amadora”.No repertório, canções que traduzem seus 20 anos de história. AMADORA foi o nome escolhido pela própria Mariene inspirada por uma fala de CLARICE LISPECTOR durante uma entrevista concedida à TV no ano de 1977, pouco antes de morrer. Na entrevista, Clarice diz que nunca assumiu sua carreira de escritora, pois só escreve quando quer: “Eu sou uma AMADORA e faço questão de ser amadora. Profissional tem uma obrigação consigo mesmo de escrever. Eu faço questão de não ser como um profissional pra manter minha liberdade." Além desse sentido, unido ao fato de que, na vida e na carreira, estamos sempre aprendendo, Mariene quis também dar à palavra “amadora” uma conotação de quem ama ou gosta muito de algo ou alguém, amante, apreciador...

Para quem admira e acompanha o trabalho dessa artista, que faz do seu canto um ofício sagrado, esse, certamente, será um show inesquecível.

Ficha Técnica:

Fabinho Cunha, Percussão
Reinaldo Boaventura, Percussão
Marcos Bezerra, Violão, Viola
Gel Barbosa, Acordeon
Israel Ramos, Baixo


Amadora, melhor forma de viver.

Numa entrevista ao programa "Panorama", da TV Cultura, em 1977, foi perguntado a Clarice Lispector:
- " A partir de qual momento você decide assumir a carreira de escritora?
- Eu nunca assumi.
- Por que?
- Porque só escrevo quando eu quero. Eu sou uma AMADORA e faço questão de ser amadora. Profissional tem uma obrigação consigo mesmo de escrever... Eu faço questão de não ser como profissional, pra manter minha liberdade." (https://youtu.be/ohHP1l2EVnU).

Vejo em Mariene de Castro, desde quando a conheço, uma artista de dedicação amorosa a tudo que faz. Certamente seu maior amor, que são muitos, é cantar. Cantar com o fígado, com o coração, com o sorriso, com as lágrimas, com toda sua vida olhada para trás e toda expectativa do que pode vir pela frente. Cantar com os braços e até com a voz. Voz única e entrelaçada com as verdades do coração.

Na sua primeira turnê na França, eu assisti pela primeira vez ao seu show, show que eu dirigi. Fiquei muito emocionado, pois era uma plateia 99% de franceses para um repertório 100% de música brasileira, sem se prender a canções de sucesso. Eu vi muitos franceses chorando sem entender uma palavra. Ouvi de uma senhora, e depois de um rapaz, não sei se por conhecidência ou por ser uma expressão francesa, que falou : "você esquentou meu coração". Ali, já ali, para mim, estava assinado que ela era uma grande intérprete. Eternamente independente. Amadoramente entregue à música. Nordestina, mulata, de origem simples pra enfrentar um mundo conduzido por homens que querem embranquecer tudo e que estão "sempre no comando". Mas, acima de tudo, Mariene enfrenta a vida com garras de leoa para nos dar presentes artísticos, e não será diferente nesse seu mais novo projeto. "Amadora" é o mais novo desafio. E a gente nem precisa saber o que vem pela frente, para já começar a gostar.
O bonito e significativo do projeto é ele nascer na casa de Itapoã de Vinícius de Moraes, o mais amador de todos os seres humanos de que tenho notícias. É o casamento perfeito do inesperado com o encantado; do verdadeiro com o profundo; do amador com o apaixonadamente profissional. É a simplicidade sincera do amor. Esse sentimento tão confuso dentro da gente e dentro dele próprio, que cria um querer além do porquê e que parece dar mais sentido a tudo. E é com esse querer que estou curioso, e acredito que vocês também, pra conhecer esse novo trabalho que esquentará muitos corações e surpreenderá a todos ao percebermos que na vida somos eternos amadores. Parabéns. Vá em frente dançando na beira do mar e cantando seus amores ao vento.

Obrigado.
Jota Velloso

Quando: 29 de Março (quinta-feira)
Hora: 21h
Onde: Teatro Castro Alves – Sala Principal
Valor: R$ 100 (inteira) e R$ 50 (meia) das filas A a P
R$ 80 (inteira) e R$ 40 (meia) das filas Q a Z6
R$ 60 (inteira) e R$ 30 (meia) das filas Z7 a Z11